Como perdi o medo de trabalhar com métricas de mídias sociais?

Havia um tempo onde muitos profissionais achavam que estudar métricas de mídias sociais era algo que podíamos deixar de lado, seja por medo das métricas ou não. Mas esse tempo passou e agora é uma habilidade que faz a diferença na hora da contratação e aumento de salário.

Eu considero que há três motivos que fazem com que o profissional opte por não estudar métricas:

  • Falta de habilidade para lidar com matemática e estatística
  • Preguiça pura
  • Acreditar que pode fazer um bom trabalho sem mensurar o resultado

Antes que você diga que o mercado de Belém não valoriza o profissional de métricas eu só digo que, até pouco tempo, ele também não valorizava as mídias sociais. Hoje até uma padaria da esquina sabe que precisa delas.

Não espere o mercado te pedir uma habilidade para correr atrás de aprendê-la por que no quesito metricas você já está muito atrás.

Para os dois últimos motivos citados acima eu só desejo uma morte lenta e dolorosa no mercado boa sorte. Para o primeiro eu tenho algumas dicas.

 

 

 

Estude o conceito de cada métrica

 

 

 

 

Muitas vezes, por estar envolvido com a profissão, a gente imagina que sabe o que cada métrica significa, porém, é na hora de montar um relatório ou apresentação para um cliente que não entende o que é o trabalho de mídias sociais que você descobre que não sabe explicar o que é uma determinada métrica.

É nessa hora que o social media chora e mãe não vê!

Para você entender o conceito de cada métrica a minha dica é separar em uma planilha ou tabela no Word quais as métricas que você conhece, o que sabe sobre elas e o que a plataforma define como conceito daquela métrica.

Dessa forma você visualizará como está enxergando a definição das métricas e quão longe está do conceito real dela.

Ao final você terá também um glossário de métricas para consultar no futuro, compartilhar com os amigos da área e assim por diante.

 

Mexendo em ferramentas de monitoramento e métricas

 

 

 

 

As ferramentas de monitoramento e métricas estão para área de social inteligence assim como o Photoshop está para a fotografia. Até dá pra trabalhar sem ele, mas você vai perder muito tempo.

Ainda fazendo um paralelo com photoshop você aprende fazendo cursos e botando a mão na massa, mas ao contrário do Photoshop você não encontra um software pirata das ferramentas de monitoramento e métricas para instalar no seu computador.

No máximo você encontra algumas ferramentas gratuitas cheias de limitações ou ferramentas com trial de curto período.

Para você que não sabe mexer nas ferramentas como Stilingue, Hiplatform ou Scup, eu aconselho entrar em contato com as ferramentas e pedir o período de testes. Estes períodos de testes vem sempre acompanhados de um atendimento de profissionais das ferramentas para ensinar usa-la.

Algumas ferramentas como o Opsocial possuem planos para estudantes e pesquisadores. Dessa forma você pode aprender a usar e de quebra fazer um portfólio.

Eu mergulhei de cabeça nessa dica. Ela me ajudou a entender diferentes pontos de vista do mercado, já que as funcionalidades mudam de ferramenta para ferramenta, além de me dar uma base para ter a melhor performance com a ferramenta certa.
Sem contar o lado photoshopeiro de aprender com erros e acertos.

 

Mete a cara no primeiro estudo

 

 

 

 

Essa é a dica é a mais faca no dente que te darei.

Usando a analogia do Photoshop se você for perguntar para um fotógrafo ou designer se eles mudariam alguma coisa no primeiro trabalho deles no Photoshop eles provavelmente diriam que mudariam tudo, mas falariam que foi a coragem de sentar frente a ferramenta e soltar a criatividade que os incentivou a seguir na profissão.

É dessa forma que você deve pensar!

Meta a cara para realizar um estudo de métricas sobre uma empresa, segmento ou instituição. Mesmo que não se sinta seguro que deva fazer ou não deseje divulgar.

Ao realizar um trabalho desses você estará de frente com dilemas do dia a dia de um profissional como qual métrica escolher para indicar que o objetivo foi atingido.

Essa dica é faca no dente por que foi por ela que eu comecei a perder o medo. Realizei um estudo sobre os check-ins no Foursquare realizado no estádio Mané Garrincha durante a abertura da Copa das Confederações no país.

Este estudo tem o nome complicado, eu usei uma plataforma de redes social que não era a mais usada, hoje eu mudaria muita coisa no estudo, mas ele foi importante para me dar coragem de produzir mais.

Quando publiquei recebi vários feedbacks de amigos e profissionais além de ter o estudo divulgado por alguns sites que falavam sobre Fousquare.

Foi neste momento que eu tomei coragem para estudar mais e publicar outros trabalhos.

Escolha um tema que você seja apaixonado e aproveite a dica das ferramentas acima para criar o seu primeiro trabalho.

Garanto que dará trabalho, mas será recompensador.

 

As métricas não matam ninguém de susto

 

 

 

 

Eu sei que para os profissionais e estudantes de comunicação que não estão habituados a trabalhar com números e análise dados a área de métricas pode parecer complicada e chata no início. Mas isso ocorre com qualquer área e em qualquer profissão.

Sempre haverá uma disciplina na sua formação que necessitará transpor as barreiras por que são fundamentais para o seu trabalho. Com as métricas não são diferentes.

Se envolva com os dados, estude mais, procure livros e faça cursos. Sua carreira só irá evoluir com este aprendizado.

Não tenha medo das métricas. Elas podem parecer um monstro, mas não metem medo em ninguém.

 

Deixe uma resposta